Como Obter saúde pela Linguagem do Corpo de Cristina Cairo;

Sem Comentarios

Como Obter saúde pela Linguagem do Corpo de Cristina Cairo;



Para obter saúde


Se você já plantou uma semente na terra e a regou todos os dias, esperando a plantinha nascer, então compreenderá o que digo sobre ter pensamentos bons e criar um destino bom, sabendo esperar com paciência e amor o surgimento ou projeção em sua vida. Pensar, sentir, falar e agir devem estar em harmonia para que seja acionada a propulsão realizadora da lei dos semelhantes que se atraem. A saúde obtém-se da mesma forma, sendo coerente consigo mesmo, analisando, secretamente, as vantagens de estar doente. Será que estando doente você poderá fazer só o que gosta? Acha, mesmo, que aquela pessoa que o despreza tanto, agora que você está "dodói", vai dar-lhe mais atenção? E a família com a viagem programada terá de suspendê-la porque você está doente? O filho com o casamento marcado não poderá mais realizá-lo porque o papai adoeceu! Talvez você esteja, inconscientemente, querendo se vingar de alguém que não o reconheça em seu seio familiar ou em seu ambiente de trabalho, ou esteja chantageando para fazê-los acreditar que você faz falta.
Existem infinitas possibilidades para que uma doença possa ser criada fisiologicamente pela mente. Exemplo disso é a pessoa que, num determinado momento de sua vida, encontra-se diante de um problema grave, sem saída para encontrar uma solução. Desespera-se: está no limite de seu consciente. Para salvá-la, seu subconsciente entra em ação e lhe presenteia com uma doença inteligente. É o caso de alguém muito cansado, sobrecarregado de compromissos e impedido de fazer aquilo que mais gosta para satisfazer seus prazeres pessoais, que acaba somatizando uma forte gripe que o obriga a parar com tudo e a se reorganizar, livrando-o dos excessos de preocupações. Outro exemplo: alguém que vive um problema aparentemente sem solução e que possui no seio familiar pessoas dominantes, controladoras ou superprotetoras, normalmente sofre algum tipo de acidente que vai lhe causar amnésia, coma ou amnésia lacunar como fuga por não querer ou não saber lidar com a situação atual de sua vida.
Obviamente, enquanto estiver acamado, outros resolverão para ele todos os seus problemas. Ninguém nasce psicólogo ou com um manual de instruções para saber como lidar com a própria mente, mas a partir do momento em que você começar a notar a absoluta coerência em tudo que é explicado e demonstrado neste livro, ou em outro que ensine o autoconhecimento, não fará nenhum sentido continuar julgando fatores externos, responsabilizar terceiros pelas suas doenças, ou atribuir, simplesmente, à fatalidade, eventuais acidentes em que você se veja envolvido. E lógico e perfeitamente compreensível que ninguém muda, da noite para o dia, seu modo de ser, o que não impede que você possa, a cada dia, fazer mudanças positivas em seus pensamentos, palavras e comportamento, compreendendo que temos muito a aprender sobre nós mesmos, sobre nossos poderes internos. Por isso, ninguém e nada neste mundo pode ser culpado pelo fato de não sabermos resolver os problemas que geramos com nossa própria conduta, não é mesmo? Por incrível que possa parecer, mesmo situações que, aparentemente, não dependam de nós para serem solucionadas, devemos entender que nós próprios as criamos como resposta do nível interno no qual insistimos em permanecer. Lembre-se: os semelhantes se atraem, sejam pessoas ou situações.
Isso é um fato! Admitir que somos teimosos, orgulhosos, arrogantes, egoístas, possessivos, controladores, requer muita humildade e desprendimento, por isso não é fácil parar de projetar doenças e infortúnios. Quanto mais formos flexíveis em nossas opiniões e pensamentos, mantendo o equilíbrio entre o que sabemos e o que os outros sabem, mais saúde teremos e, com certeza, só haverá tranqüilidade em nossas decisões e sonhos. Precisamos, antes de mais nada, conhecer o mecanismo psicológico de defesa das pessoas, e tentar entender o porquê dos desentendimentos que geram tantas mágoas, ressentimentos, raiva e demais componentes que favorecem o aparecimento de doenças. Esse mecanismo a que me refiro é a resistência em reconhecer seus próprios defeitos de caráter, porque, afinal de contas, é muito mais fácil achar que o outro é errado, ou culpado pelos seus sofrimentos. Sigmund Freud ensina: quando você se irrita profundamente com alguém ao ponto de comentar e apontar os defeitos dessa pessoa, está dando um forte indício de que você se projeta e se identifica com essa pessoa. Portanto, você é exatamente igual a ela, mas, inconscientemente, não aceita esse fato e luta contra ele. Esse é o momento ideal para reflexão, ser flexível e aceitar o conselho para parar de ver os defeitos nos outros e com isso certamente você vai reconhecer os seus também e sua vida vai fluir bem melhor, não é mesmo? Viva seus próprios sonhos! Muito bem, chegou o momento de ensinar-lhes mais significados psicológicos de doenças para que você se conheça e reconheça que possui velhos padrões comportamentais que devem ser modificados em seu próprio benefício: será um grande passo para a cura e para a liberdade de ser feliz.

Retirado do Livro Linguagem do Corpo vol 2 De Cristina Cairo


Veja mais:

Project Somos Arts . Tecnologia do Blogger.